Lições do coronavírus

Demos graças a Deus que temos acesso ao mundo por meios virtuais e muitas opções de comunicação, permitindo-nos falar com nossos entes queridos. O coronavírus nos lembra o quanto eles nos são importantes, o quanto o amor deve ser expressado, o quanto o amor tem que tomar forma, o quanto o amor tem que falar o que é preciso, Gálatas 4.16; 5.6; 1 Coríntios 13; João 14.15, 23. Continue lendo “Lições do coronavírus”

De Fusca para Ferrari

Na minha agenda, aquele modelo padrão brasileiro, o dia 31 de dezembro é marcado como o Dia da Esperança. Que entidade o declarou assim, não faço ideia, mas não é uma ideia ruim, não.

No fim de ano, os pensamentos se projetam para as possibilidades futuras. Existe, na cabeça da maioria, um vago desejo para que as coisas sejam melhores no próximo ano. Poucos planos concretos são feitos, porém.

A passividade reina e o camarada mediano da vida espera que Governo, Sorte ou Deus transforme suas circunstâncias para que mude de Fusca para Ferrari.

Para o cristão, todo dia é de esperança. Deus fez promessas sobre a segunda vinda de Cristo. Ele voltará em algum momento — talvez hoje. Neste dia, sim, o Fusca terreno se transformará em Ferrari celestial. Quer dizer, os sofrimentos e as lágrimas desta vida desaparecerão, se dissolverão na felicidade eterna ao lado de Deus, onde não há mais morte, dor ou decepção. Continue lendo “De Fusca para Ferrari”