Conversão: uma mudança de vontades

queda-de-braço

Uma terceira faceta da conversão é o ato de decidir seguir e continuar seguindo Cristo. Aquela parte do ser humano representada pelas decisões e escolhas é chamada de vontade.

Mas hoje nosso poder decisório é tão corroído e enfraquecido que ficou confundido. Fala-se frequentemente em termos de “sentir a vontade”, pois as pessoas decidem conforme sentem. As emoções tomam as decisões. Continue lendo “Conversão: uma mudança de vontades”

Conversão: uma troca de amores

Meu amigo texano, Mike Riley, escreveu sobre a conversão. No seu segundo ponto, disse que a conversão é uma mudança de afetos, ou amores:

Quando somos convertidos, verdadeiramente, a Cristo, trocamos nosso amor do pecado pelo amor a Deus. É nessa base que guardamos os seus mandamentos, João 14.15; 1 João 2.3. Demonstramos a conversão dos nossos afetos pelos nossos atos, Tiago 2.14-24; 1 João 3.15-18.

(Para o primeiro ponto de Mike, ver aqui.)

É isso mesmo. Jesus ensinou que não se pode amar dois senhores. No contexto dessa sua fala, no sermão do monte, ele se referia ao dinheiro:

Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro.

E Tiago nos lembra da impossibilidade de sermos amigos de Deus e do mundo. “Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus” Tiago 4.4.

Deus exige exclusividade no nosso amor. E como Mike lembrou bem, esse amor tem de ser demonstrado nos atos, e não somente da boca pra fora. Continue lendo “Conversão: uma troca de amores”

Aquele que conhece o coração

Meu amigo John Henson compartilhou esses pontos sobre Deus como aquele que conhece os corações.

  1. Deus conhece seu coração.
    • Lucas 16.15: “Ele lhes disse: Vocês são os que se justificam a si mesmos aos olhos dos homens, mas Deus conhece o coração de vocês. Aquilo que tem muito valor entre os homens é detestável aos olhos de Deus”.
  2. O grande conhecedor dos corações é consultado.
    • Atos 1.24: “Depois oraram: Senhor, tu conheces o coração de todos. Mostra-nos qual destes dois tens escolhido”.
  3. Aquele que sonda os corações se importa conosco.
    • Romanos 8.26-28: “Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus. Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.
  4. O que é que Deus sabe a respeito do seu coração?

A fé que move não só montanhas, mas atitudes

fe-move-montanha

Um amigo meu, o texano Mike Riley, escreveu um artigo sobre a conversão. Ele cita um dicionário de termos bíblicos que a conversão é “uma virada de e virada para”. Faz a pergunta sobre que tipo de virada. Veja seu primeiro ponto:

(1) A conversão é uma mudança de mentalidade — É uma mudança da descrença à fé. Quando Paulo e Silas pregaram o evangelho em Corinto, conseguiram converter Crispo do seu estado da descrença a um estado de fé, Atos 18.8. Assim, por meio do anúncio do poderoso evangelho de Cristo, Romanos 1.16, Crispo foi convencido da verdade de Deus, ficou convicto dessa verdade e foi convertido a ela. (Note também a mesma progressão da conversão em Atos 2.14-41.)

Tudo começa com esta mudança. A fé que não somente aceita a verdade na teoria ou como conceito, mas sua convicção da verdade conduz à mudança de vida. Continue lendo “A fé que move não só montanhas, mas atitudes”

Saiba o que é a conversão, e como fazê-la

steps

Que é a conversão, no sentido bíblico do termo? Ela significa virada, voltar-se para Deus, virando as costas para a vida mundana e egoísta. A conversão sinaliza mudança. É um termo global para descrever a resposta humana à Boa Nova de Cristo, como neste verso:

“A mão do Senhor estava com eles, e muitos creram e se converteram ao Senhor” Atos 11.21.

Para ter uma ideia do uso da palavra “converter-se” ou “convertido” na Bíblia, veja esta lista de passagens na Nova Versão Internacional.

O livro de Atos é a história da proclamação da Boa Nova de Cristo e serve em parte como um livro de exemplos de conversão.

Por que importante?

Este assunto é de suma importância, porque a Bíblia ensina que, sem a nossa conversão, não podemos ser perdoados e salvos eternamente. Continue lendo “Saiba o que é a conversão, e como fazê-la”

O plano de Deus em nosso favor

homem-espaco

O eterno Deus criou o tempo, o espaço, a matéria e a energia. Ele nos fez à sua imagem, dando-nos a liberdade de escolha, o livre arbítrio.

Quando escolhemos mal, colocou em funcionamento seu plano de resgate. Não desistiu da humanidade.

Escolheu pessoas e grupos para representá-lo na terra e para comunicar sua bênção. No tempo certo, enviou seu próprio Filho, Jesus, o Messias, o Escolhido, para pagar o preço final do nosso resgate, a fim de ser justo e justificador daquele que tem fé nele. Continue lendo “O plano de Deus em nosso favor”

O modelo para começar relacionamento com Deus

agua-batismo

Podem as pessoas somente orar, a fim de receber um relacionamento espiritual com Deus?

Saulo de Tarso certamente tinha tentando por três dias, sem enxergar, sem beber nem comer, Atos 9.9, 11. Mas ele não recebeu tal relacionamento com Deus até Ananias dizer:

“E agora, que está esperando? Levante-se, seja batizado e lave os seus pecados, invocando o nome dele’”, Atos 22.16.

Suas orações fervorosas não iniciaram seu relacionamento com Deus, até que ele foi batizado para “lavar” os seus pecados.

Mais tarde, como o apóstolo Paulo, ele escreveu:

Mas por isso mesmo alcancei misericórdia, para que em mim, o pior dos pecadores, Cristo Jesus demonstrasse toda a grandeza da sua paciência, usando-me como um exemplo para aqueles que nele haveriam de crer para a vida eterna, 1 Timóteo 1.16.

O modelo para todos que creem em Jesus Cristo inclui o batismo para lavar os pecados. Nosso relacionamento espiritual com Deus começa quando seguimos este modelo.

John T. Polk II

Frases: a humildade sua ambição

A oração, o seguimento de Cristo e a glorificação de Deus trazem a unidade. O foco longe das personalidades abençoa a família da fé. Romanos 15.5-6.

Faça com que a humildade seja a sua ambição.

Deus faz de tudo para nos conduzir à sua presença e à sua bênção, menos nos forçar. Tem de ser escolha nossa.

Culpamos outras pessoas por nossa falta de seguir Jesus e obedecer a Deus, mas no dia do juízo final, a culpa cairá em nós mesmos e não nos outros.

Deus é paciente conosco, mas até a paciência dele tem limite. Temos hoje como nosso tempo de nos arrepender. Ele não nos dá garantia do dia de amanhã.

Não é que tentamos procurar tempo para incluir Deus em nossas agenas. É que o tempo pertence a Deus e nós devemos pertencer a ele. Assim, o tempo para orar, ler a Bíblia e reunir-se com a família da fé deixa de ser problema.

No final das contas, a escolha é uma só, entre a minha vontade e a vontade de Deus. Alimentar o egoísmo, ou alimentar a alma com a graça divina são mutuamente exclusivos.

 

O perdão corre atrás

Vários irmãos estão usando a série: “52 ações do discípulo de Cristo”, para suas leituras nos grupos. Na nossa casa hoje, faremos leitura de umas passagens bíblicas nessa lição sobre o perdão uns dos outros.

52-acoes-13-perdoar

Urbanova, 20h-21h, SJCampos. 12-3949-1246.

Como amar a Deus

De Élcio Márcio, Belo Horizonte MG

Se de fato amamos a Deus, ouviremos sua voz e obedeceremos sem hesitação sua vontade. O verdadeiro amor consiste em obedecer à vontade de Deus. E a sua vontade é amá-lo sobre todas as coisas e amarmos uns aos outros como Ele nos amou.

Amar é colocar em pratica o que aprendemos; é ser paciente, benigno, excluir o mal, é ser fiel, gentil e ter domínio sobre nossas ações.

“Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus, e todo aquele que ama o Pai ama também ao que dele é nascido. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. Porque nisto consiste o amor a Deus: obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são penosos” 1 João 5.1-3.