‘E agora, José?’

O seguinte texto veio de um folheto nosso de décadas atrás. Julgue você se ainda é atual.

Você se lembra de ter lido no colégio o poema de Carlos Drummond de Andrade com o mesmo nome do título acima? Lembra qual era a mensagem principal? Sua ideia pessimista é a seguinte: depois da festa, depois de toda celebração, o que resta? Só pergunta, sem resposta.

Supostamente, festa é para celebrar, mas nossas festas acabam sendo uma fuga para não termos que encarar as questões mais importantes da vida. Acabamos admitindo que o sábio rei Salomão tinha razão quando disse:

“Também entre risos o coração chora, e a alegria termina em tristeza”.

É, mesmo no meio de uma multidão de gente em pleno carnaval, é possível estar chorando por dentro. Não só possível, mas pra muitos é a realidade.

É por isso que o Sábio afirmou:

“É melhor a tristeza do que o riso, porque debaixo de um rosto triste, o coração pode estar alegre. O pensamento do sábio está na casa onde há luto, mas o pensamento do insensato está na casa onde se faz festa”.

Por que o luto é melhor? Porque nos impele a considerar o fim de todas as coisas. Porque nos força a encarar que em volta do morto somos todos moribundos.

Você não gosta de ir a um enterro? Talvez seja um bom sinal de sua própria fuga da realidade da vida. Que realidade? A de que você logo morrerá e terá que assumir as consequências do estilo de vida que adotou, estilo esse que ignora a primazia de Deus na vida e prioriza seus próprios interesses e desejos.

Falemos sem rodeios, porque não dá para brincar com essas questões. Todos nós temos que pensar de forma clara e racional sobre nosso destino eterno. O brincalhão que está sempre brincando com coisa séria nunca encara nem resolve a tristeza do coração. Por que fazemos festa numa tentativa de fugir da vida?

Porque sabemos que, de outro modo, teríamos de admitir nossa própria humanidade e corrupção. Mas, uma vez que conseguimos confessar que bagunçamos nossa vida, há boas notícias para serem ouvidas e vividas. O Criador está pronto para nos oferecer vida gratuitamente.

Uma última vez o Sábio: “Feliz é o homem que teme ao Senhor continuamente, mas o que endurece o seu coração vira a cair no mal”.


Busque a resposta na obra de Jesus. Vamos conversando.

Pergunta? Dúvida? Comentário?