Conversão: mudança de relacionamento

divisa-estado

A conversão tem muitas facetas, como o diamante. Uma quarta faceta da conversão, mencionada pelo amigo Mike, é uma mudança de estado ou de relacionamento:

A conversão é uma mudança de estado e de relacionamento. Quando verdadeiramente convertidos, somos transferidos de um estado perdido a um estado de salvação e assim em relacionamento certo com Deus, Romanos 5.6-10; 2 Coríntios 5.17-19. Não somos mais estranhos, mas co-cidadãos da família de Deus, Efésios 2.19-20. Poderíamos ser o pior marginal ou um órfão sem casa, mas Deus aceita todos que respondem ao seu chamado, Apocalipse 3.20; 22.17. Nenhum pecado é tão grande que Deus não o perdoará, Mateus 9.13; ver Gálatas 1.13; 1 Timóteo 1.12-15.

Fisicamente, é fácil perceber quando atravessamos uma divisa estadual ou fronteira entre nações. Há placas indicadores, ou talvez procedimento documentário, como a imigração. Ou o simples ato de sair pela porta de casa, mudando nosso estado de dentro para fora de casa.

Tal mudança espiritual não é visível, mas ocorre da mesma forma. A conversão, cujo passo definitivo é o batismo (compare Atos 2.3 com Atos 3.19), marca a passagem para entrar em Cristo.

Paulo a descreve como uma transferência de reinos.

Pois ele nos resgatou do domínio das trevas e nos transportou para o Reino do seu Filho amado, em quem temos a redenção, a saber, o perdão dos pecados, Colossenses 1.13-14.

Paulo mostra que Deus montou uma operação de resgate, plano eterno de salvação, para tirar o ser humano do domínio das trevas. Quem responde ao chamado já é transportado para o Reino de Cristo. (O reino já chegou e entramos nele!)

O Senhor Jesus descreveu esta mudança de estado/relacionamento dessa forma:

Respondeu Jesus: “Se alguém me ama, obedecerá à minha palavra. Meu Pai o amará, nós viremos a ele e faremos morada nele, João 14.23.

Fazer morada numa pessoa é uma figura que afirma o estabelecimento de um novo relacionamento com Deus. Quem não obedece aos mandamentos de Jesus não tem a presença de Deus e de Jesus na vida. Quem ama Jesus obedece. E o Pai corresponde com um amor especial que resulta em comunhão, reconciliação, filiação.

Tudo isso é possível porque Cristo deu a sua vida na cruz e pagou o preço pelos nossos pecados. Por meio do perdão, que vem pela imersão na água duma pessoa arrependida dos pecados, temos condições de conhecer a Deus e ser por ele conhecidos.

Pergunta? Dúvida? Comentário?